Quero reconhecimento histórico e quero agora!


Homens vem tirando as grandes mulheres da História e você deveria ficar atenta a isso. Por causa de um sexismo sistemático de historiadores homens que menosprezam ou ignoram feitos de mulheres ou então dão crédito a homens pelo trabalho feito por mulheres, muitas mulheronas incríveis passaram despercebidas por nós. E a história do chá não é diferente do restante da História. O chá tem uma história longa, de mais de 4 mil anos, mas que algumas mulheres merecem ter seus feitos contados nesse texto.

(Obra original por Pehr Hilleström)

Você sabia que a origem do chá tem diferentes versões pelo mundo? Na china ela inicia-se em 2737 a.C., quando o Imperador Shen Nung bebe água fervida com folhas de Camellia sinensis que caíram acidentalmente em seu copo. Na Índia, atribuem o descobrimento ao Príncipe Bodhi-Dharma, filho do Rei Kosjuwo, que bebeu chá após ficar doente durante sua peregrinação para pregar o Budismo no norte do país. No Japão, há a lenda que o Príncipe Bodhi-Dharma mascou folhas de chá para manter-se acordado e não sonhar com todas as mulheres que havia amado. Mas o que importa de fato foi como uma simples infusão espalhou-se pelo mundo graças às manas do nosso passado.

A grande responsável por tornar o chá uma bebida tão requisitada é a portuguesa Catarina de Bragança que, em 1662, introduziu o costume de beber chá na corte inglesa. O famoso costume inglês de tomar chá foi graças à Duquesa Ana de Bedford em 1820 que tomava seu chá às 5 horas da tarde e fez ser um costume chique. Essas duas mulheres conseguiram fazer uma bebida simples virar de alta moda, até todos copiarem.

Mas não é só de beber chá que as mulheres daquela época viviam. Houveram pioneiras que decidiram empreender em épocas que as mulheres não tinham voz e muito menos podiam abrir um negócio próprio. Mary Tuke abriu um negócio de chá, café e chocolate em 1725 na Inglaterra, mesmo sendo processada legalmente por homens dizendo que mulheres não deveriam ser donas de negócios próprios. Mary Tuke ficou conhecida como “The Mother of York’s Chocolate Industry” (A mãe da indústria de chocolate de York). Uma outra Mary que foi uma empreendedora importante foi a Mary Twining, que cuidou da famosa empresa de chás inglesa Twining, durante 21 anos (1762- 1783) em uma época em que homens que cuidavam dos negócios. Além de destacar-se por ser uma mulher como presidente de uma empresa nessa época, Mary marcou a história do chá ao conseguir garantir a qualidade dos seus chás, sem alterar seus produtos, em uma época em que havia muita adulteração no mercado para diminuir os custos de produção.

Além dessas mulheres fodas que vocês conheceram agora e que fizeram toda uma indústria prosperar, tem outras mulheres que deram muito duro, mas que tiveram seus trabalhos roubados por homens, fazendo com que suas invenções fossem anuladas historicamente. Por exemplo, você sabia que o chá em saquinho foi inventado por uma mulher? Pois é. A patente foi criada em 1901 pela Roberta C. Lawson e pela Mary Molaren. Mas até hoje tem sites e livros que falam que esse formato de servir chá foi feito por um homem em 1908. O chá gelado também foi criado por uma mulher em 1879, a Mabel Cabell Tyree, sendo que os resultados de pesquisa creditam um homem em 1904.

Dezenas de mulheres fantásticas foram esquecidas na história do chá, mas não podemos mais deixar isso ir adiante. Precisamos falar sobre nossas ancestrais que quebraram moldes, inventaram, empreenderam. É importante saber de onde viemos para entender o caminho que devemos percorrer para alcançar nossos objetivos. Já estamos cansadas de termos nossos trabalhos roubados por homens e sermos esquecidas historicamente!

#história #chá #feminismo #sagradofeminino #cháfeminista #feminino #feminisno #feminista #feministtea #empoderamentofeminino #empoderamento

Somos uma revolução silenciosa empoderando mulheres através de um oráculo de chás

© 2018 por THE FEMINIST TEA. Orgulhosamente criado com Wix.com