Corpo “perfeito” é fachada: body positive é realidade


Menines, muito tem se falado sobre body positive e a gente queria falar aqui sobre a dificuldade de amar o próprio corpo. Body positive do inglês significa corpo positivo, que pode também ser traduzido como um conceito de amar o próprio corpo com uma visão positiva sobre ele. A Dove, uma empresa de cosméticos realizou uma pesquisa com mulheres ao redor do mundo, onde 4% delas se sentem seguras e tranquilas para se definirem simplesmente como belas, e lembre-se: o body positive não é apenas sentir-se bela, é se sentir bem com o corpo que tem, e não apenas em questões estéticas.

Sabemos que não é fácil e às vezes só queremos esconder cada partezinha do nosso corpo, e às vezes se olhar no espelho é complicado, mas tudo o que podemos fazer, é por conta dele. É difícil ignorar aquelas estrias, as celulites que insistem em aparecer, o cabelo que não está do jeito que queríamos, nosso tamanho, nosso jeito de andar, de falar.. Fomos ensinadas a ver tudo isso de um jeito muito negativo, comparando com uma beleza irreal e inatingível das capas de revista. Mas tá na hora de isso mudar né não?

“Lembre-se: o body positive não é apenas sentir-se bela, é se sentir bem com o corpo que tem”

Encontrar roupas do tamanho certo, cadeiras confortáveis, comer sem ser ofendido, ir na praia e colocar roupa de banho, parece o mínimo, mas não é tão fácil para 96% das mulheres que NÃO se sentem belas e sim, sabemos bem o que é passar por isso. Mas sabemos também que a desconstrução é uma luta diária e tirar toda a carga cultural que carregamos hoje em dia é muito difícil, porém necessário para que consigamos evoluir.

Mas pra tudo isso funcionar, é preciso se desconstruir de toda a questão cultural que envolve nossos corpos. Essa jornada de auto-aceitação não é fácil e nada vai facilitar o caminho. Segundo o médico psiquiatra do Centro Especializado em Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz “Há estudos com universitários em que afirmam preferir se casar com traficantes ou bandidos do que com obesos’’, e é por isso que gordofobia e racismo são alguns dos exemplos mais comuns de preconceito e discriminação. Num mundo assim, é realmente muito difícil se amar, com as pessoas sendo afetadas diretamente por essa cultura.

Com o avanço da era digital, muitxs influencers tem conseguido atingir diversas pessoas e assim, começar a conscientização sobre body positive e principalmente, a aceitação. Megan Jayne Crabbe, é uma mulher importante, autora Inglesa de 23 anos, ativista e feminista. Em suas obras, ela fala como parar com dietas, ficar em paz com o próprio corpo e apenas viver. Vale a pena conferir!

‘’Eu não vou me desculpar por existir. Não mais’’

Nosso convite é que você tenha um olhar mais amoroso e carinhoso ao se olhar no espelho, acreditamos que é o que cada uma precisa fazer para iniciar essa jornada. Então manx, se olhe no espelho e se elogie, diga algo bom sobre você mesmx. Temos uma provocação pra você -um desafio- a próxima vez que se olhar no espelho, você vai se olhar nos olhos e repetir umas palavrinhas como “eu me amo”, “eu posso ser feliz”, “eu me liberto”, “eu me aceito” e “eu sou bonita” Não vai ser fácil à princípio, reflita sobre esse assunto, pratique o olhar positivo (body positive) e depois conta pra gente.

#sagradofeminino #cháfeminista #bodypositive #feminino #feminisno #feminista

Somos uma revolução silenciosa empoderando mulheres através de um oráculo de chás

© 2018 por THE FEMINIST TEA. Orgulhosamente criado com Wix.com