• Preto Ícone Instagram

Suporte

Sobre a The Feminist Tea 

Nos acompanhe nas redes

Somos uma revolução silenciosa empoderando mulheres através de um oráculo de chás

  • Facebook - Black Circle

© 2018 por THE FEMINIST TEA. Orgulhosamente criado com Wix.com

Pra entender importância do Feminismo Negro e as diferenças nas lutas das mulheres

 

 

O feminismo negro é uma vertente do feminismo de modo geral que veio para pautar, reivindicar seus direitos e questionar o feminismo hegemônico. Protagonizado por mulheres negras, tem início Brasil no final de 1970, entendendo que não só as questões de gênero deveriam ser faladas dentro do feminismo, mas a questão do racismo posto sobre mulheres negras que torna as pautas delas específicas e diferentes das questões das mulheres brancas. Apesar de muitas lutas serem similares, a história vem sendo muito cruel com as mulheres mas não do mesmo jeito com todas elas: com as brancas de um jeito e com as negras de outro.

Uma questão que deixa explícita a diferença entre as lutas das mulheres negras e mulheres brancas por exemplo é em relação ao trabalho. Enquanto as brancas lutaram para poder trabalhar e dominar profissões e se tornarem médicas, engenheiras, executivas e etc, as negras vem (desde sempre) trabalhando em fábricas, plantações e em mais diversos tipos de serviços. Sempre como uma mão de obra desvalorizada, o trabalho não foi um direito pra elas, mas sim a única opção de sobrevivência. No Brasil mesmo, quantas vezes tivemos mulheres negras ocupando lugares de liderança dentro do parlamento? Ou empresas? Ou em ambientes acadêmicos? 

Outra questão relevante pras mulheres negras é a hipersexualização que sempre lhe foi posta: colonizadores violentaram, estupraram e mataram seus corpos. Sendo vistas como promíscuas (principalmente quando a miscigenação cresceu) houve um sério desencadeamento de consequências, como a reprodução dessa ideia colonizadora, exemplo: globeleza, nua, sorrindo e sambando com sua existência reduzida a um corpo objeto negro. Desde 2006, primeiro ano de vigência da Lei Maria da Penha, o número de vítimas de violência e homicídios caiu 2,1% entre as mulheres brancas e aumentou 35,0% entre as negras. Ao longo de toda a história a mulher negra foi retratada como objeto sexual, e as brancas como um objeto a ser preservado e intocável, uma princesinha, inclusive era muito comum a mulher branca sinhá ser mantida virgem enquanto seu noivo fazendeiro transava com as negras feitas de mucamas. Ainda hoje vemos muito boy lixo que só quer mulher negra pra transar e realizar suas fantasias, mas nao pra assumir um relacionamento.

Sim, as questões de sofrimento e luta das mulheres não são iguais pra todas e sabemos que nunca foi fácil entender que existem diferenças entre o feminismo negro e o feminismo hegemônico. Há muitas pautas para serem discutidas e muito a ser reivindicado pelas mulheres negras, e por isso o feminismo negro é tão necessário. Precisamos reconhecer inclusive que as negras sempre estiveram na linha de frente do feminismo e na grande maioria dos movimentos por luta por direitos das “minorias”, como no movimento black power. Encerro citando Bell Hooks, que no texto Políticas Feministas: de onde partimos diz:

“Mesmo antes que raça se tornasse uma questão debatida em círculos feministas estava nítido para as mulheres negras (e para suas aliadas revolucionárias na luta) que elas nunca teriam igualdade dentro do patriarcado de supremacia branca capitalista existente.”

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Dia das Bruxas e a necessidade de honrar as mulheres que vieram antes

October 31, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes