<< FRETE GRÁTIS PARA COMPRAS ACIMA DE R$ 269 >>

Blog

5 lições que minhas dívidas me ensinaram sobre empoderamento feminino

A verdade é que até os momentos mais difíceis podem nos ensinar como nos empoderar. Parece brincadeira, mas ao longo dos anos aprendi muito sobre o empoderamento feminino com as minhas próprias dívidas, quer ver?

1. Não tenha medo de expor seus planos.

Ir em busca patrocínio e/ou fazer um crowdfunding online faz com que muita gente se identifique com o seu projeto e decida, por generosidade e crença no seu trabalho, doar uma quantia que vai fazer a diferença!

2. Confie no seu projeto!

É importante confiar no seu taco e isso não significa descartar um plano B. Se você acha que pode dar conta do próximo desafio financeiro, encare! Mas invista um tempinho pensando num plano B, ele pode ser essencial num evento inesperado (como a alta abrupta do dólar, que pode ser mitigada se comprar aos poucos meses antes).

3. É melhor segurar a dívida do que fazer uma maior.

Antes de se jogar nas opções mais fáceis e acessíveis (cartão e cheque especial), invista tempo analisando outras. Geralmente, se sua situação estiver realmente apertada no presente, o ideal é alongar a dívida com a sabedoria de que você precisará apertar os cintos por um tempo, mas pelo menos não comprometerá toda sua renda numa dívida de curto prazo que pode virar um looping de cheque especial.

4. Se culpar não adianta de nada.

Quando se perceber numa enrascada financeira, gaste menos tempo se culpando e mais tempo analisando como sair dessa com mais conhecimento do que você tinha antes, e mais poder de decisão sobre seu próprio bolso.

5. Cuidar do próprio dinheiro também é uma forma de autonomia.

Ainda que assessores financeiros, ou mesmo pessoas próximas que entendam do assunto, sejam desejáveis como fonte de informações caso você não saiba por onde começar, ninguém pode planejar suas finanças melhor que você, sob a sua perspectiva, quando você tem informação para isso.
Aprender a se planejar é ter o poder de decisão em suas mãos, o que por si só já é possuir um direito que muitas mulheres até o século passado não podiam, de errar e aprender com as rédeas do próprio bolso. Portanto, orgulhe-se disso!

Tag:

Postagem mais antiga
Postagem mais recente